Lançado em 1951, o livro campo O apanhador no de centeio, do autor estadunidense Jerome David Salinger, conseguiu, pela primeira vez, mostrar o comportamento e os sonhos de uma geração de adolescentes. Holden Caulfield é um jovem rebelde de 17 anos que é expulso do colégio interno onde mora. Com a intensidade característica dessa fase da vida, Holden sente-se só e deprimido e passa a divagar sobre a vida.

“Ele está naquele período complicado da adolescência, quando surgem alguns questionamentos: posição no mundo, perspectivas e planos para a vida, carreira. Na verdade, Holden Caulfield questiona o mundo adulto que se descortina em sua frente e ao qual ele se nega a participar”, explica o professor da Universidade Estadual de Goiás e mestre em Letras, Adolfo José de Souza Frota.

– por que é um clássico? –

Para Frota, o que o torna um clássico é a sua relevância e a atemporalidade em um tema universal: a formação do homem na sociedade. “O autor deu voz a um adolescente, algo inédito ou pouco usual. Além disso, criou um personagem que, em sua posição de desajustado, consegue ser carismático.” O romance também ajuda a compreender o momento pós Segunda Guerra Mundial, nos Estados Unidos.

Para Benedito Antunes, professor de Literatura Brasileira da Unesp, a obra é um clássico porque continua a ser reeditado mais de seis décadas após seu lançamento, atraindo leitores jovens e adultos. “Usando uma linguagem baseada na gíria jovem da de década de 1950, o narrador expressa uma revolta que o leva a se contrapor a um mundo em que nada se salva, a não ser as crianças, que são vistas como inocentes e ainda fora da hipocrisia adulta.”

Leia Também:  Ídolo dentro e fora das quadras

– por que ler? –

A obra causou uma grande repercussão quando foi publicada. “Foi um livro que incomodou parte da sociedade americana, mas também fascinou outra parte por um motivo bastante relevante: o protagonista é um adolescente abastado, mas que está insatisfeito consigo mesmo e com a sociedade, um tipo de desajustado social por se sentir alienado em relação ao mundo adulto do qual não quer fazer parte”, ressalta Adolfo Frota.

– temas abordados –

Entre os temas abordados estão o fato de que a riqueza material nem sempre indica prosperidade afetiva e espiritual, o desajuste social motivado pela fase conturbada que é a adolescência e o choque da realidade do mundo adulto.

Sobre o autor

Jerome David Salinger, mais conhecido como J. D. Salinger, nasceu em 1 de janeiro de 1919 em uma família de classe média alta. Foi mandado por seu pai a um colégio militar, por punição a sua falta de interesse em estudar. Serviu voluntariamente na Segunda Guerra Mundial. A experiência o deixou psicologicamente abalado, precisando ser internado. Suas obras tratavam de temas que tinham a Guerra como pano de fundo, além de discutir a vida de famílias abastadas. Em 1953, Salinger se mudou de Nova Iorque e passou a viver uma vida reclusa. Morreu em 2010.