Italiano nascido em 1932, Umberto Eco foi escritor, professor e filósofo. Mais do que romancista, o autor de “O Nome da Rosa” era conhecido também pelo seu trabalho de pesquisa que iniciou em meados dos anos 60.

Voltado aos estudos da estética medieval, Umberto Eco se dedicou especialmente aos textos de São Tomás de Aquino e mais tarde concentrou-se em estudar comunicação e cultura de massa. Ao longo da sua vida intelectual, avançou em seu objeto de estudo, direcionando sua pesquisa à semiótica, da qual virou referência.

Com algumas publicações voltadas ao tema, como as “As Formas do Conteúdo” (1971) e o livro “Tratado Geral de Semiótica” (1975), o autor se preocupou em estabelecer as diversas interpretações que podem ocorrer ao ouvinte através da obra artística.

Leia Também:  15 mandamentos para o sucesso corporativo, segundo Theunis Marinho

Foi só em 1980 que publicou “O Nome da Rosa“, seu primeiro romance, que o consagrou. Seis anos após a publicação, a história foi adaptada ao cinema, tornando-o ainda mais conhecido. Em 1989 lançou “O Pêndulo de Foucault” e em 2010, “O Cemitério de Praga”.

Umberto Eco faleceu em Milão, Itália, no dia 19 de fevereiro de 2016, mas nunca é tarde para conhecer a sua obra. Para conferir mais obras do autor clique aqui.